Quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2012

Deixem-nos trabalhar!

Na mesma semana em que algumas importantes "faróis" dos mercados levantaram a voz para afirmarem que Portugal está no bom caminho, cada vez mais próximo do sucesso da Irlanda e cada vez mais distantes do fracasso (mais do que provável) grego, logo surgiram pesadas críticas de responsáveis alemães.

 

Primeiro foi Merkel, que apontou o dedo à Madeira, depois foi a vez do também alemão Martin Schulz criticar a política externa portuguesa.

 

O presidente do Parlamento Europeu, sentiu-se incomodado com a visita que o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, fez a Angola no passado mês de Novembro. Uma visita que teve um objectivo claro: tentar captar mais investimento para Portugal.

 

Schulz afirma que o destino de Portugal é claro: o declínio, mas também enfrentamos "o perigo social para as pessoas, se não compreendermos que, economicamente, e sobretudo com o nosso modelo democrático, estável, em conjugação com a nossa estabilidade económica, só teremos hipóteses no quadro da União Europeia". Diriamos, com amigos (parceiros europeus) destes!

 

Ora o mesmo Schulz só pode ser um homem distraído. É que exactamente no Verão do ano passado, a sua Chanceler, visitou o mesmo país, exactamente com o mesmo objectivo. Na altura, certamente, o homem estava de férias, e a notícia passou-lhe ao lado.

 

São consistentes os sinais de que Portugal (Governo, sindicatos, patrões e oposição responsável) está no bom caminho. O contexto é adverso, o passado é pesado, mas a determinação é muita. Ainda esta semana, também os mercados deram um sinal positivo, ao exigirem juros mais baixos a Portugal para colocar a sua dívida, em contraste com o que se passou com outras economias de maior dimensão.

 

Mas também é claro que há um conjunto de “forças” que estão determinadas a provar que Portugal não vai conseguir levar a carta a Garcia. Contra tudo e todos, resta-nos apenas trabalhar.

 

PS1: Em apenas nove dias o ‘spread’ da ‘yield’ das obrigações de Portugal a 10 anos face às congéneres alemãs corrigiu mais de 27%.

 

PS2: O défice comercial português caiu para metade. É uma boa e uma menos boa notícia. Positiva, porque revela que muitas empresas portuguesas estão a conseguir ganhar quota de mercado nos mercados internacionais, que por estes dias, estão inundados de companhias a tentarem vender os seus produtos.

 

Menos boa, porque os mesmos números também demonstram que as importações estão em queda, fruto do menor consumo e investimento interno. Embora ainda aqui se observe um dado curioso e positivo: assistimos a uma substituição das importações. E isso no fundo corresponde a uma vitória das nossas empresas face às estrangeiras, no próprio mercado.


publicado por MoedaForte às 11:33
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Helena a 9 de Fevereiro de 2012 às 18:32
A Alemanha tem e sempre teve o impulso de querer o poder, ou seja, manipular o mundo. O pior é que no espaço europeu está a conseguir.
Portugal deve voltar-se para todos os nichos de mercado, quer sejam países lusófonos ou não.


De j a 10 de Fevereiro de 2012 às 09:52
É um cheiro a suor à tua beira que tresanda,,, Ufff!!!!


De Eliseu Matias a 23 de Fevereiro de 2012 às 15:23
No meio das crise, e ao invés de se insultarem uns aos outros ou acharem como a CGTP que as greves vão melhorar a economia, temos todos de procurar as oportunidades reais que se oferecem de uma forma construtiva e termos vontade de aprender coisas novas e mudar se for preciso a nossa forma de pensar e trabalhar.
Os empresários com o seu dinamismo já estão a encontrar novos caminhos, assim os ditos "trabalhadores" se deixem manipular menos e saibam também perceber que os tempos mudaram e que para recuperar certos benefícios a construção do edifício social terá de ter em conta a realidade e não a ilusão dos vendedores de castelos de areia.


Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Fevereiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


posts recentes

Deixem-nos trabalhar!

arquivos

Fevereiro 2012

blogs SAPO

subscrever feeds